segunda-feira, 11 de julho de 2016

É Fundamental


É Fundamental
É bem possível que muitos de nós tenhamos algum conhecido que era intransigente defensor das práticas e políticas do Partido dos Trabalhadores e que, com o desencadeamento dos últimos acontecimentos político-jurídicos pelos quais passa o país, tornou-se crítico severo e até mesmo cruel do partido e de seus membros.
Há também aqueles que com o advento desta crise político-econômica, tendo ou não em alguma época se identificado com a ideologia defendida pelo Partido dos trabalhadores, tornaram-se adversários ácidos e agressivos dos agentes, dos vários partidos, que estão sendo acusados e responsabilizados por ilícitos no exercício de suas funções.
Ao tempo que detratam e execram aqueles a quem culpam por todos os recentes males que afetam o país, devotam uma extraordinária admiração por aqueles que conduzem o processo moralizador; em especial à Polícia Federal, aos Procuradores Federais e ao Juiz Sérgio Moro.
E naturalmente há os que continuam convictos de que, a despeito dos acontecimentos condenáveis que se descortinaram, ainda a melhor escolha político-partidária, dentre as que se apresentam à sociedade brasileira, é a que se apoia nos partidos da base de sustentação do governo afastado.
Sem dúvida alguma, todas as posições merecem respeito, já que a aceitação da posição do outro é o que legitima a posição, as ideias e os entendimentos de cada um de nós.
Como sabemos, seja a favor ou contra uma determinada posição há sempre defesas com argumentos pífios e simplórios, como também, aqueles que apresentam defesas bem elaboradas e consistentes.
A atribuição de culpa àqueles que se elegeram para conduzir os nossos destino é atitude correta, entretanto, não podemos nos esquecer que essas pessoas são os nossos mandatários e que talvez tenhamos responsabilidade pelos atos que praticaram, senão legalmente, quiçá moralmente.
Isto é, se votamos displicentemente, com comprometimento ou se nem ao menos nos preocupamos em escolher um representante e se deixamos de acompanhar os seus atos e as decisões que tomam, em nosso nome, como poderemos deixar de ser indiretamente responsáveis?
Talvez esta seja a lição mais importante que estamos tendo a oportunidade de receber: primeiro, e mais importante, é preciso participar séria e idoneamente da eleição dos nossos representantes; segundo, é absolutamente necessário que as ações dos nossos representantes sejam acompanhadas por todos nós, para que efetivamente nos representem.
E estejamos certos, não basta mudar o governo, nem mesmo pelo modo excepcional que está em curso. Indiferentemente do nível administrativo, todo governo, para se manter fiel à sua proposta eleitoral precisa ser fiscalizado, não só pelos eleitores, mas, especialmente, por uma oposição, legítima e comprometida com os direitos sociais dos cidadãos.
O que é sem dúvida nenhuma dispensável, é esta atitude revanchista ou de represália. Nada justifica o ataque às pessoas que estão envolvidas nos fatos ímprobos. É lamentável assistir aos cidadãos dirigindo ofensas aos envolvidos, quando os encontram nos aeroportos, nos restaurantes, nas ruas, enfim, nos lugares públicos.
Injuriar as pessoas, sem prejuízo do comportamento delas, a saber, se são ou não honestas, ou respondem a processos e mesmo se já foram condenadas, é crime. Seguramente, este comportamento não revela uma atitude democrática ou cidadã.
Não se trata de minimizar, desculpar ou perdoar os atos praticados por estes agentes; ao contrário, devem todos ser exemplar e rigorosamente responsabilizados; mas, os débitos que tem para com a sociedade não lhes retiram a dignidade.
Ninguém pode ser despossuído de todos os seus direitos. Os direitos fundamentais são garantias que não nos podem ser retirados. Cabe-nos, tão somente, respeitá-los.
Curitiba, 11 de julho de 2016
Joatan Marcos de Carvalho
Da Academia de Letras José de Alencar




 


Nenhum comentário:

Postar um comentário

posse do Dr. Dálio Zippin Filho na Presidência do Conselho Penitenciário do PR

Joatan, eis as fotos da posse do Dálio, na Presidência do Conselho Penitenciário. agradeço,mais uma vez, seu empenho em ir prestigi...