domingo, 2 de julho de 2017

Umbanda

Umbanda
Sincretismo
Como estudante de metafísica sempre fui um buscador e inquiridor sobre as Forças da Natureza e a Origem do Universo.
O termo Universo pode ser usado em sentidos contextuais ligeiramente diferentes, denotando conceitos como o cosmo, o mundo ou a natureza.
Mas... Aí é que tá o travo da trova!
A força do pensamento pode mover a matéria?
Estudei e frequentei várias Sendas Místicas por onde andei...
Seguindo em frente!
Muitas vezes dando dois passos para trás!
Assim caminha a humanidade.
Fiz oferenda á Iemanjá nas praias do Rio Vermelho em Salvador quando morava em Itapuã.
Visitei o espaço místico da famosa Mãe Menininha do Gantois.
Já fui ao Terreiro de Umbanda do Pai Maneco em Curitiba.
Em todas as passagens por estes lugares, apreciei os ricos rituais em movimentos aos sons de músicas embaladas com percussão peculiar.
Movimentos cósmicos invadiram meu cérebro e meu corpo...
Seguindo em frente!
Etimologicamente a Umbanda ou “embanda” são oriundas da língua quimbunda da Angola, significando “magia”, “arte de curar”.
Há também a suposição de uma origem em um “mantra” na Língua adâmica cujo significado seria “conjunto das leis divinas” ou “Deus ao nosso lado”.
Formada no início do século XX no sudeste do Brasil a partir da síntese com movimentos religiosos como Candomblé, Catolicismo e Espiritismo.
É considerada uma “religião brasileira por excelência” com um sincretismo que combina o Catolicismo, a tradição dos orixás africanos e os espíritos de origem indígena.
Só para constar, Sincretismo é formado pela fusão de diferentes cultos ou doutrinas religiosas, com reinterpretação de seus elementos.
Vivendo mais de uma década na Bahia, desenhei muitas figuras ligadas ao tema.
Vai ter Festa no Mar...
Também tenho origem e vida cigana.
Minha descendência espanhola remete-me ao “nômade”...
Minha alma judaica remete-me ao “judeu errante”!
Colorindo meu corpo e minha mente nas cores do arco íris!
Devo ter origem indígena também!
Como se navegasse no Cosmo!
Um decreto assinado em 2006 instituiu o dia 24 de maio como Dia Nacional dos Ciganos no Brasil.
A data faz menção aos 24 e 25 de maio, dias em que se prestam homenagens no mundo todo à Santa Sara Kali, padroeira do povo cigano.
Santa Sara Kali é a padroeira dos Roma. O seu nome, tal como o de Sara no Antigo Testamento, pode ser um nome hebraico que indica uma mulher de alta sociedade, que algumas vezes é traduzido como “princesa” e em outras, “senhora”. Wikipédia.
http://povodearuanda.files.wordpress.com/2012/05/11.jpg
Quando os ciganos dançam, eles estão se embalando no Universo.
Os carroções se alinham na noite onde a lua se debruça inteira, para ver os ciganos acenderem as fogueiras. As estrelas parecem que acendem mais luzes, piscando na cadência dos passos, enquanto a música e canto entoam comemorações à vida.
Alex de Oxóssi – Rio Bonito – Rio de Janeiro.
Tal quais os terreiros de Umbanda!
Assim... Desde os meus vinte anos:
Eu vi mamãe Oxum na cachoeira...
Sentada na beira do rio...
Colhendo lírio, lírio ê...
Colhendo lírio, lírio á...

Colhendo lírio pra enfeitar nosso congá!

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Viva aos Nossos Amigos

                                                                                                                                          ...