quinta-feira, 15 de dezembro de 2016

Para Anita

Para Anita

          Conheci uma menina chamada Anita. Não sei se ela sabe, mas seu nome significa “Pequena Graça”, isso mesmo, em maiúsculo, por se referir a um presente de Deus. Anita, sem perceber, caminha entre mortais oferecendo-lhes a imortalidade, e, muitos sequer compreendem que isso é de graça.
          Mas, a Graça, que é sempre de graça, vem junto com a docilidade e amabilidade de quem gera a vida, e de maneira desprendida, compartilha a existência com tanta naturalidade, que, para alguns parece muito difícil. Acho que é como gestar. Algo silencioso e mergulhado em amor.
          Anita passa pelos mortais convidando-os à imortalidade, eles a olham, muitas vezes com olhar desconfiado, desorientados por seus afazeres mortais, muitas vezes preocupados em não morrer.
          Que graça terá uma vida sem Graça? Que Graça é essa que, de tão gratuita nos assusta? Sim, assusta! Pois, vivemos num mundo em que tudo custa. Quanto custa uma Graça? Pois é, alguns pensam que podem vendê-la e outros que podem comprá-la. Mas Anita nos mostra que a Graça, que é de graça, não é barata. Seu custo é divino, seu valor é infinito.
          Infinita é a Graça que o Criador, por meio de Anitas nos oferece a todos os instantes. Não a vemos, estamos preocupados em não morrer morrendo. Graças a Deus por sua Graça! Graças a Deus por sua Anita! Graças a Deus pela eternidade de sua Graça.

Renato Barbosa dos Santos
           


           



Nenhum comentário:

Postar um comentário

comentário do jurista Luiz Vitório Tavarnaro sobre " O Direito e a Maiêutica"

Enviado:  terça-feira, 21 de novembro de 2017 14:07:17 Para:   celsomacedo.portugal@hotmail. com Assunto: MAIÊUTICA - O autor, CELSO...