segunda-feira, 19 de setembro de 2016

Histórias da História

Francisco Souto Neto

Anexos17:47 (Há 16 horas)
para mimanita
Estimado confrade Cascaes!
Há exatos 66 anos, em 18 de setembro de 1950, meu tio Homero Silva (que era casado com Mariinha de Salles Souto e Silva, irmã do meu pai), a convite de Assis Chateaubriand inaugurava a TV Tupi de São Paulo, tornando-se ele o primeiro rosto a aparecer numa tela de televisão no Brasil e na América do Sul. Foi padrinho artístico de pessoas que nos anos seguintes se tornaram muito famosas, tais como Lolita Rodrigues, Hebe Camargo, Lima Duarte e centenas de outros. Recebeu mais de uma dúzia de prêmios Roquette Pinto como o mais importante apresentador da televisão brasileira. Foi vereador e depois deputado ao longo de muitas legislaturas. Quando concorreu à prefeitura de São Paulo, perdeu para Lino de Matos por uma minúscula diferença de votos.
Homero Silva faleceu há 35 anos, em 1981, o que foi noticiado nas principais revistas da época, Visão de Veja, e nos mais importantes jornais do país. Com a passagem das décadas foi sendo esquecido por tudo e por todos, atualmente há pouquíssimas referências dele na internet, e apenas onze fotografias da sua trajetória artística e política divulgadas naweb.
Para resgatá-lo do esquecimento, em 2014 fiz um artigo para o Jornal Centro Cívico lembrando um pouco dos seus feitos, que agora refiz parcialmente para o Portal Iza Zilli. Segue abaixo o link para seu conhecimento. Se for possível divulga-lo no blog da ALJA, ficarei muito grato. Estaremos, assim, levando a nossos confrades e confreiras um pouco do admirável Homero Silva, e procurando estender às novas gerações um tanto da História da Televisão no Brasil.
Após meu artigo, juntei as raras fotografias conhecidas das atividades profissionais de Homero Silva, uma única dele discursando da Assembleia Legislativa de São Paulo, e um filme mudo feito por um convidado desconhecido, presente à inauguração da TV Tupi. O filme tem apenas 24 segundos e é o único existente do nascimento da televisão brasileira.
Para enriquecer um pouco o meu artigo, acrescentei fotos que eu mesmo fiz ao visitar meus queridos e saudosos tios nos anos de 1966, 1974 e 1980.
Muito grato... e com o abraço deste seu confrade

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Soturnamente pensei

Soturnamente pensei Pensei, logo não existo Somos pequenos demais O que dizer? Sonhei, sonhei? Tive pesadelos Acordei Quando ...