quarta-feira, 20 de abril de 2016

Partir

Partir
Cardoso Filho
Com expressão de desânimo e aturdimento, disse que irá embora. Mencionou um destino remoto, na aparência sem muita razão de ser, soando algo exótico, com jeito de sonho como outros que alimentou. Mas mostrou disposição. Na razão de tudo, o desejo de deixar para trás o feito e o não feito, como quem apaga a lousa para iniciar nova escrita. Terá razão? Quem saberá dizer? Suponho que contribua para seu decidir o momento que vive o Brasil, de horror econômico, caos político e desilusão encravada na alma. Terra que aparenta condenada a viver, por muito tempo ainda, entre a demagogia política e a corrupção sem freio, refém do messianismo de líderes populistas maléficos, burrice burocrática e ineficiência das leis e da Justiça. Razões que pesam bastante para a vontade de deixar o país e encontrar canto mais civilizado.
          Olhando por seus olhos, é compreensível a pretensão. O tempo lhe vai na altura em que rompe num galope, a idade avança, oportunidades foram deixadas para trás e o mercado de trabalho se encolhe cada vez mais. As empresas querem sangue novo. Homem mais velho só com especialidade e experiência que o distingam. Existiria a opção de tocar negócio próprio, mas poucos possuem qualificação e recursos para enfrentar o risco. Muitos tentam e quebram. Sobraria começar por baixo, modestamente, mas... ah, a vitrine social! Como expor a singeleza de emprego e salário aos parentes e amigos, como suportar comparações com os mais bem-sucedidos? Vem a ânsia por atalhos, de comum perigosos e traiçoeiros. Mas é preciso correr. Arriscar. Tentar em outro mundo o que não conseguiu aqui, levando na mala a disposição de trabalhar em qualquer serviço na nova terra, conforme a precisão, sem o constrangimento de aceitar empregos simples e menores.
          Suponho que a decisão esteja consolidada. Partir, cerrar a porta do passado, deixar laços e afetos, suportar a nostalgia e começar nova vida onde os sonhos possam renascer-lhe. Quem sabe bem longe, na caminhada solitária, esteja sua verdade e a realização de seus desejos.
          Se de fato partir, que siga com Deus e leve no peito a fibra dos que desembarcam na nova terra e queimam as naus.

Abril de 2016.

           

Nenhum comentário:

Postar um comentário